Canal Comunitário
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Ouvir Radio
busca
Buscar
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                         Mude o tamanho do texto Fonte 12 Fonte 14 Fonte 16
Escola despejada pelo PAC tem 4 salas para 3 mil alunos
Após acordo que selou a saída da garagem de ônibus Amigos Unidos da Rocinha, 'a corda arrebentou em outra ponta', alunos do Colégio Estadual Brandão Monteiro foram despejados do prédio que ocupavam, em Triagem, há 18 anos
Escola despejada pelo PAC tem 4 salas para 3 mil alunos

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não traz só melhorias por onde passa. Desde fevereiro do ano passado, quando a garagem de ônibus da Amigos Unidos precisou sair do alto da Rocinha para dar lugar aos edifícios residenciais do projeto, os três mil alunos e professores do Colégio Estadual Brandão Monteiro foram despejados do prédio que ocupavam, em Triagem, há 18 anos.

Depois de acordo com o governo estadual, a escola virou o novo endereço da empresa de ônibus, e a unidade de ensino foi transferida para os fundos do Colégio Estadual Olavo Bilac, na Praça Argentina, em São Cristóvão. O pequeno prédio de dois andares que passou a receber os estudantes abrigava o vestiário da outra escola.

Desde que virou sala de aula, há um ano, o "prédio" já foi reprovado cinco vezes em vistorias da Vigilância Sanitária Municipal. Segundo os relatórios, "não há ventilação adequada, as dependências do colégio são extremamente pequenas em relação ao número de alunos, há fezes de ratos e necessidade de poda de árvores para diminuir problemas com micos, pombos e morcegos".

Os problemas não param por aí. Em maio de 2009, a empresa Projetto Engenharia verificou que a rede elétrica da escola está comprometida, com risco de curto-circuitos como o que ocorreu na segunda-feira. O perigo obriga a manter computadores e ar-condicionados desligados. "Ontem (quarta-feira) um ventilador pegou fogo e caiu. Por sorte, ninguém se machucou", afirmou a diretora Iêda Ribeiro Leoni.

A escola também enfrenta falta de água há sete dias. Os funcionários contam que, desde a mudança, é necessário comprar com o dinheiro da merenda dois galões de água filtrada por dia para o consumo, já que não existe filtro instalado.

As salas de aula são distribuídas em quatro espaços com capacidade para até 10 carteiras, e a diretoria foi improvisada num antigo banheiro. Já o sanitário utilizado pelos três mil alunos é apenas um e precisa ser dividido entre homens e mulheres. "Eu acho muito ruim. Além da falta de espaço, não tem ventilação", diz a aluna Taiane Silva Couto, 17 anos.


Colégio em troca de área para o PAC

Um dos desafios para a construção de habitações do PAC foi resolvido em 2009 com a permuta que prejudicou os alunos do Colégio Brandão Monteiro. O estado trocou a área da unidade, na Rua Bérgamo, em Triagem, por três terrenos da empresa de ônibus Amigos Unidos, na Rocinha. Em outubro do ano passado, foi iniciada a construção de nove prédios, com 144 apartamentos.

No endereço da antiga escola, ficava, há 20 anos, a hoje extinta Companhia de Transportes Coletivos. Há 18, o colégio ocupou um dos prédios, mas em fevereiro do ano passado foi despejado.


Biblioteca é pilha de 2 mil livros em armário

Os 2 mil livros da biblioteca do antigo prédio em Triagem estão empilhados num armário. A consulta aos títulos é praticamente impossível. "Sinto falta de uma biblioteca grande. Antes podíamos escolher um livro e ler ali", diz Taiane.

Segundo os alunos, o colégio só consegue manter os 3 mil alunos porque funciona em sistema semipresencial. Mesmo assim, o desconforto é nítido. Aluna da alfabetização, Sônia Gimenez de Souza, 65 anos, estudava de pé com o caderno encostado no muro, antes da prova: "Quando chove, alaga. Os professores precisavam de lugar melhor para ensinar e os alunos, para aprender".

A Secretaria Estadual de Educação admitiu o problema, mas não pretende dar à escola endereço novo. Segundo a secretaria, está sendo feito um projeto para reforma e ampliação das dependências ali mesmo. A previsão é de que sejam construídas mais 5 salas de aula, biblioteca, refeitório, copa, despensa, sala de professores e sanitários masculino e feminino. Mesmo assim, o colégio continuará com quase metade da capacidade da antiga unidade, que tinha 14 salas de aula.

Ainda segundo a secretaria, a escola será incluída no projeto Climatizar, que instalará ar-condicionado. As obras deveriam ser concluídas dentro de seis meses, mas sequer começaram.



Fonte: Terra / Colégio Estadual Brandão Monteiro. Foto: Arquivo
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                        
Faça seus comentários a respeito deste texto
Dê sua opinião
TTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTT
Postado 6/3/2011 12:44:16
EU ACHO UM DESCASO DAS AUTORIRADES POIS A ESCOLA JÁ CONVIVEU COM RODOVIARIOS ANTES E NUNCA TEVE PROBLEMAS COM O SEU ENSINO COMO DERRUBAR É MAIS FACIL QUE LEVANTAR O GOVERNO ESTÁ CERTO PARABENS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! .
O mais autêntico Blog da Rocinha. Matérias dos tempos antigos e posts do primeiro site www.rocinha.org estão na área de Blog

© Copyright 2007-2015  ® Todos os direitos reservados