Canal Comunitário
Sábado, 24 de Junho de 2017
Ouvir Radio
busca
Buscar
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                         Mude o tamanho do texto Fonte 12 Fonte 14 Fonte 16
Inacabadas, obras do PAC Rocinha são o retrato do descaso
E o PAC empacou no trocadilho da governanta. Na creche inacabada da Rocinha, vagas só para carros
Inacabadas, obras do PAC Rocinha são o retrato do descaso

A Biblioteca Parque, que deveria estar funcionando como um Centro Cultural, até hoje não foi inaugurada (Foto: Divulgação)

Financiadas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal e gerenciadas pela Empresa estadual de Obras Públicas (Emop), duas obras na Rocinha apresentam problemas que expõem falta de zelo do poder público. Localizada na Estrada da Gávea, a creche do PAC teve seu pátio transformado num grande estacionamento. Neste domingo, uma equipe do GLOBO contou 13 carros e 17 motos no local. A creche estava em fase de acabamento há cerca de um ano, quando os operários da Emop abandonaram a obra, e o lugar onde crianças deveriam brincar durante o recreio virou garagem. Numa das paredes da creche, está pintado o preço da mensalidade de uma vaga para moto (R$ 50). “Daqui a pouco sairemos daqui. A obra do PAC deve recomeçar - disse, sem se identificar, um homem responsável pela cobrança no estacionamento, que não quis informar quem teve a ideia de instalar ali o negócio”.

Na mesma Estrada da Gávea, um prédio construído com recursos do PAC para abrigar uma biblioteca também tem problemas. Um imóvel vizinho, que foi desapropriado para ser demolido por estar sobre uma vala negra, acabou permanecendo de pé, adiando a obra de esgotamento sanitário que livraria os frequentadores da biblioteca de doenças e mau cheiro. As pessoas que moravam no prédio, de três andares, foram levadas para outras casas, mas, como a obra foi protelada, outras famílias chegaram. Os moradores reabriram janelas e portas que haviam sido fechadas com tijolos justamente para evitar ocupações ilegais. “Vivemos aqui há oito meses com mais duas famílias - disse a diarista Janileide Bezerra, que mora com a mãe, o marido, a filha e uma neta. - Nós estávamos pagando aluguel e, agora, economizamos essa despesa. Mas isso é temporário”.

Do outro lado da cidade, as obras do PAC do Complexo do Alemão, na Zona Norte, apresentam problemas semelhantes, segundo a assessoria da Emop. Mas naquela comunidade já existe um trabalho, coordenado pelo Escritório de Gerenciamento de Projetos (EGP) da Secretaria estadual da Casa Civil, no qual atuam assistentes sociais e engenheiros, para resolver essas questões e abrir caminho para a continuidade do PAC. “O governo estadual monitora essas situações na Rocinha e vai atuar efetivamente a partir da retomada das obras que vão complementar a primeira fase do PAC”, disse Ruth Julberg, coordenadora do trabalho social do EGP.

A assessoria da Emop informou que a licitação para a complementação da primeira fase do PAC na Rocinha será anunciada em um mês. O governo federal já assegurou recursos (R$ 49 milhões) para a conclusão das obras. Com isso, além da creche e do esgotamento sanitário ao lado da biblioteca, serão finalizados o plano inclinado - que fará a ligação do acesso principal (paralelo à autoestrada Lagoa-Barra) à Rua 1 - e a reurbanização do Largo do Boiadeiro e da Rua do Valão. As obras do PAC da Rocinha começaram há três anos e sete meses.



Fonte: Rogério Daflon
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                        
Faça seus comentários a respeito deste texto
Dê sua opinião
Não há Comentários publicados.

O mais autêntico Blog da Rocinha. Matérias dos tempos antigos e posts do primeiro site www.rocinha.org estão na área de Blog

© Copyright 2007-2015  ® Todos os direitos reservados