Canal Comunitário
Quinta, 27 de Abril de 2017
Ouvir Radio
busca
Buscar
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                         Mude o tamanho do texto Fonte 12 Fonte 14 Fonte 16
Voando No Tempo. Nas Asas da Borboleta da Rocinha!
O Portal Rocinha.org volta no tempo e refaz o voo da Borboleta encantada da Rocinha. Nem tudo foram flores, mas a trajetória é digna de louvores e alavancada com muita luta e determinação
 Voando No Tempo. Nas Asas da Borboleta da Rocinha! Foto: Componentes da Acadêmicos da Rocinha voltam a sorrir por dias melhores (Foto: Galo Musical)

Fundada em 23 de março de 1988 depois da fusão dos blocos Unidos da Rocinha, Sangue Jovem e Império da Gávea nasceu a Princesinha da zona sul, a tricolor de São conrado, a escola da Borboleta. Com seu manto verde azul e branco a nova escola de samba já nasceu fadada ao sucesso e como um meteoro foi tri campeã do carnaval carioca sob a regência do gênio Joãosinho Trinta.A Rocinha venceu na estréia em 1989 na Avenida Rio Branco com o enredo "Esplendor dos Divinos Orixás", em 1990, em Campinho, com o tema "Um Coração Chamado Brasil", e, já na Marquês de sapucaí foi campeã em 1991 com o carnaval "Do esplendor da Roma Pagã ao despertar da Rocinha". Em 1992, nem tudo foram flores, já com Carlinhos Andrade e embalada pelo excesso de empolgação e atividade política de seu patrono, a escola enfim conheceria o quinto lugar com o colorido enredo "Para não dizer que não falei das flores". A partir daí as coisas ficaram mais difíceis. 

O canavalesco carlos DAndrade com "Tristão e Isolda - Uma ópera no asfalto" conseguiu um sexto lugar no ano seguinte. Em 1994, com um carnaval mais debochado a Rocinha surpreendeu com "Humor pra dar e vender" de Luiz fernando Abreu e em 1995 "Sem Medo de ser Feliz" ficou em quarto lugar com Alexandre louzada. O vice campeonato de 1996 se tornaria um divisor de águas da agremiação.


No ano de 1998 o GRES Acadêmicos da Rocinha viveria um dos piores momentos de sua história quando sofreu dois rebaixamentos seguidos. A escola da Borboleta, vice-campeã do Acesso A em 1996 com o enredo "Bahia com muito Amor" foi alçada pela primeira vez ao Grupo Especial em 1997, onde ousou apresentando um tema não brasileiro. "A viagem fantástica do Zé Carioca à Disney" de Flávio Tavares e Miguel Falabella deixou a escola na lanterna da competição (16º legar). De volta ao acesso, em 1998, com o nono lugar, sofreu novo descenso apresentando o enredo "Tá na ponta da língua" e levando o saudoso intérprete André Luiz pra Avenida. Esse foi o pior momento da Princesinha da Zona Sul pois coincidiu com a morte de seu patrono Luiz Carlos Batista, a agremiação chegou até a ficar sem presidente, e correu risco de nem desfilar naquele ano. 

Campeã do Grupo B em 1999 com o enredo "1999, fim do século! Recordar é viver" a Rocinha voltou pro Grupo A em 2000, caiu de novo pro B em 2001, subiu e depois se firmou no Acesso por muito tempo. Em 2006, com o tema "Felicidade Não Tem Preço" esteve pela segunda vez no Especial durante a gestão Mauricio Matos, e a partir daí sempre se manteve entre as escolas que brigavam pra subir. Hoje, novamente vivendo um momento difícil em sua trajetória, a Acadêmicos da Rocinha desfilará no Grupo B com o enredo "Borboleteando nos destinos da vida! O que te desafia te transforma" de Alex de Oliveira e Christine Moutinho. Estamos todos na torcida!


Leia também no JR www.jornaldarocinha.com.br



Fonte: Ocimar Santos
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                        
Faça seus comentários a respeito deste texto
Dê sua opinião
Não há Comentários publicados.

O mais autêntico Blog da Rocinha. Matérias dos tempos antigos e posts do primeiro site www.rocinha.org estão na área de Blog

© Copyright 2007-2015  ® Todos os direitos reservados