Canal Comunitário
Quarta, 17 de Outubro de 2018
Ouvir Radio
busca
Buscar
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                         Mude o tamanho do texto Fonte 12 Fonte 14 Fonte 16
Democracia brasileira é exemplo ao mundo árabe, diz Obama
Presidente dos EUA tentou em seu discurso apontar laços entre os dois países
Democracia brasileira é exemplo ao mundo árabe, diz ObamaO presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse no domingo, em discurso no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, que o surgimento do Brasil como uma poderosa democracia é um exemplo para outras nações, no momento em que jovens do Oriente Médio e do norte da África se rebelam por maior liberdade em seus países.

Como duas nações que batalharam por muitas gerações para aperfeiçoar nossas próprias democracias, os Estados Unidos e o Brasil sabem que o futuro do mundo árabe será determinado pelo seu povo, afirmou Obama, sendo ovacionado no Rio.

Obama ordenou que as forças norte-americanas fizessem a maior intervenção militar no mundo árabe desde a invasão do Iraque, em 2003, autorizando ataques contra a Líbia no sábado, no momento em que se encontrava com a presidente Dilma Rousseff em Brasília.

Vimos o povo da Líbia adotar uma posição corajosa contra um regime determinado a brutalizar seus próprios cidadãos. Em toda a região, vimos jovens pessoas protestando, afirmou Obama diante de cerca de 2.000 brasileiros em um discurso transmitido ao vivo para todo o país.

Quando homens e mulheres pacificamente lutam pelos direitos humanos, nossa própria humanidade comum é fortalecida. Esse é o exemplo do Brasil, afirmou o presidente, ouvindo mais aplausos no teatro.

Obama também usou seu discurso para dizer que os EUA buscavam uma parceria igualitária com o Brasil, algo que as autoridades brasileiras esperavam ouvir.

Dilma foi firme durante a aparição com Obama, em Brasília, e discorreu sobre assuntos que dividem os países, como as tarifas comerciais e as aspirações do Brasil por um assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), um desejo sobre o qual Obama mostrou simpatia, mas evitou endossar.

No Rio, o presidente utilizou seu formidável talento retórico para assegurar aos brasileiros que não estava apenas interessado em se aproveitar do crescimento econômico do país, que tirou mais de 20 milhões de pessoas da linha da pobreza na última década.

Quando vocês confrontam os muitos desafios que ainda têm dentro e fora do país, vamos ficar juntos, não como parceiros sênior e júnior, mas como parceiros igualitários, disse.

Obama, primeiro presidente negro dos EUA, também salientou as semelhanças norte-americanas e brasileiras quanto aos fatores multirraciais e multiculturais e as descreveu como um elo que deve ser explorado para vantagem mútua.

Juntos, podemos avançar em nossa prosperidade comum, afirmou, citando o comércio e a segurança energética, em alusão aos avanços do Brasil com os biocombustíveis e o petróleo encontrado no mar.

Nossas duas nações enfrentam muitos desafios. Na estrada à frente, encontraremos muitos obstáculos. Mas no fim, é nossa história que nos dá esperança para um amanhã melhor, disse.



Fonte: Reportagem adicional de Stuart Grudgings - Reuters / Foto: AP/Pablo Martinez Monsivais
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                        
Faça seus comentários a respeito deste texto
Dê sua opinião
Não há Comentários publicados.

O mais autêntico Blog da Rocinha. Matérias dos tempos antigos e posts do primeiro site www.rocinha.org estão na área de Blog

© Copyright 2007-2015  ® Todos os direitos reservados